O que são os Graus e porque é tão importante que um sistema de segurança os tenha

Ser campeão de uma liga desportiva amadora ou até mesmo uma lenda do desporto local é uma grande conquista. No entanto, todos sabemos que o verdadeiro Grande Jogo acontece nas ligas profissionais. O mundo dos sistemas de segurança funciona da mesma forma. Primeiro, tem de se passar por uma inspeção independente para se ser considerado como detentor de uma verdadeira solução de segurança profissional. Só depois disso é que as empresas de segurança e seguradoras, assim como os instaladores, estarão dispostos a trabalhar com o seu produto. Quando um dispositivo passa a certificação, as garantias do fabricante acerca da funcionalidade, fiabilidade e durabilidade da tecnologia passam a ser mais do que meras palavras. São, agora, factos comprovados. E os utilizadores não devem ter mais dúvidas — podem confiar no produto para proteger a sua propriedade e a sua vida.

Portanto, vamos falar de como é que os sistemas de segurança conseguem obter os certificados de conformidade e acerca dos diferentes níveis de fiabilidade, que são conhecidos como graus. Quais são as principais diferenças entre si, qual é o procedimento de teste e como é que a certificação garante a qualidade. Para nós, isto é mais do que apenas uma teoria — ao longo de quatro meses, os dispositivos Ajax foram testados em cinco laboratórios quanto à sua conformidade com todos os tipos de regras, regulamentos e requisitos. E foram certificados com sucesso.

Quem avalia os sistemas de segurança?

Artboard 2
Quando a tecnologia é responsável pela propriedade das pessoas, assim como pelas suas vidas, tem de ser o mais fiável possível. E seria irresponsável confiar somente na autoridade do fabricante e nas características por este declaradas — é necessário, portanto, um exame qualificado e independente. No setor da segurança europeu, a norma de segurança é a EN 50131-1:2006.

Os laboratórios acreditados efetuam uma série de testes ao equipamento de segurança: à funcionalidade, à resistência do equipamento ao clima, até que ponto resiste a interferências mecânicas e campos eletromagnéticos externos. A qualidade da comunicação rádio é testada, e também verificado o funcionamento do dispositivo quanto a poder ser ou não afetado externamente. Os resultados do teste são registados e examinados pela entidade de certificação. Se os testes tiverem sido realizados, tiverem sido escolhidos os métodos corretos e os documentos devidamente emitidos, a organização concede a certificação e atribui um grau de fiabilidade aos dispositivos.

Qual é a diferença entre os graus?

Artboard 3
A fiabilidade de um sistema de segurança é determinada pela sua capacidade de combater os atacantes com diferentes níveis de conhecimento e equipamento. Quanto maior for a classificação, mais resistente é o sistema de segurança. Existem duas ressalvas: o Grau 4 é raro em sistemas do mercado de massas, porque os requisitos padrão são extremamente elevados, e o Grau 3 só pode ser atribuído a sistemas de segurança com fios. Portanto, os fabricantes dos modernos sistemas de segurança sem fios podem receber o Grau 1 ou o Grau 2.

Sem entrar em detalhes técnicos específicos, os graus refletem a estabilidade e o âmbito de aplicação do sistema de segurança:


Grau 1. O sistema consegue resistir a atacantes inexperientes. Protege os pontos de entrada mais óbvios, por exemplo, a porta dianteira. É adequado para espaços que têm um risco mínimo de assalto e não contêm bens valiosos.


Grau 2. O sistema consegue resistir a atacantes experientes com equipamento especial. Protege portas, janelas e outros pontos potenciais de entrada. É adequado para um apartamento, casa ou escritório.


Grau 3. O sistema consegue resistir a intrusos com capacidades e conhecimentos profissionais, que utilizem equipamento eletrónico portátil. Todos os pontos possíveis de entrada são protegidos, incluindo paredes e tetos. É adequado para grandes instalações comerciais, tais como centros comerciais.


Grau 4. O sistema consegue resistir a grupos profissionais que planeiam ataques com antecedência e estão equipados com uma gama completa de equipamento. É adequado para espaços e sítios que tenham um elevado risco de assalto ou ataque terrorista.


Embora os graus sejam atribuídos a dispositivos individuais, os sistemas de segurança são avaliados enquanto unidade. O grau do sistema é determinado pelo dispositivo do sistema com o grau mais baixo.

Se um único detetor de segurança for certificado com o Grau 1, todo o sistema de segurança será classificado com o Grau 1. Mesmo que outros 100 dispositivos de segurança do mesmo sistema tenham recebido o Grau 3.

Como é que a Ajax recebeu a classificação de Grau 2?

Artboard 4
Começámos o processo de certificação com cinco dispositivos: o painel de controlo Ajax Hub, o detetor de movimentos MotionProtect, o detetor de abertura magnético DoorProtect, o detetor de quebra de vidros GlassProtect e a sirene de exterior StreetSiren. Entregámos o nosso equipamento à entidade de certificação TREZOR TEST e aos seguintes laboratórios: TESTALARM, CMI Testcom, ABEGU, VZLU TEST e ao instituto EZU. Todas estas são empresas checas reconhecidas com a devida acreditação e com os respetivos especialistas.

Os dispositivos foram testados como parte do sistema de segurança Ajax. Os especialistas monitorizaram o seu funcionamento normal, a sua interação com o ecossistema de segurança, a sua fiabilidade e a sua resistência a influências externas. Todos os dispositivos foram testados sob condições extremas de temperatura e humidade. Os testes demoraram 21 dias. Os detetores, a sirene e o hub foram testados quanto a vibração, a descargas eletrostáticas e campos magnéticos. Foram efetuadas tentativas de abertura dos dispositivos com placas finas de metal e os dispositivos foram arrancados das fixações SmartBracket, para verificar se seria possível ultrapassar o nosso tamper anti-sabotagem. Para verificar a sua resistência, os dispositivos chegaram mesmo a ser submetidos a fortes pancadas.

O Hub recebeu a maior parte da atenção, uma vez que coordena o resto dos dispositivos. Os especialistas verificaram a rapidez com que envia comandos e recebe atualizações de estado dos detetores. Verificaram a rapidez com que o sistema reage à ativação do botão de alarme e se os estados dos dispositivos são apresentados corretamente. A mudança de alimentação normal para a bateria de reserva foi verificada, assim como se o Hub conseguia aguentar as 15 horas prometidas. Além disso, foram verificados ambos os canais de comunicação — Ethernet e GSM (GPRS) — para ver se o canal de reserva é rapidamente ativado no caso de o canal principal ser cortado. Ao mesmo tempo, os testes confirmaram a resistência do Hub OS — o sistema operativo não pode ser substituído por uma versão modificada.

A nossa tecnologia Jeweller também foi testada. Os especialistas verificaram as duas antenas, que foram concebidas especificamente para o hub, assim como a intensidade do sinal rádio. Verificaram se os pings reais correspondem aos prometidos 12-300 segundos. Foi testada a capacidade do sistema de resistir a inibição e encontrar uma frequência livre em caso de interferência rádio. Também foi estudada a proteção contra dispositivos de contrafação e a fiabilidade da encriptação de dados.

O MotionProtect foi testado quanto à sua capacidade de detetar pessoas em áreas protegidas e quanto à sua resistência a interferências. Os examinadores deslocaram o detetor na diagonal e pela área de deteção, alterando a velocidade. Estavam à procura de zonas mortas e tentaram ver se era possível enganar o pirosensor. Sopraram ar quente para a lente do MotionProtect (para simular um ar condicionado), e submeteram-na a uma lâmpada de halogéneo sob diferentes ângulos (para simular a luz solar).

Para testar o GlassProtect, bateram em diferentes tipos de painéis de vidro. Este teste incluiu painéis laminados e revestidos, assim como vidro isolado. No total, foram efetuados 18 testes. Foi testada a proteção de dois fatores contra falsos alarmes, batendo contra o vidro com bolas de plástico e de borracha, assim como tubos de metal. Também foram testadas diferentes frequências de som a 80 dB.

O DoorProtect teve o seu próprio “programa bónus” — o relé reed (que regista uma abertura de porta ou janela) foi testado através da exposição a um grande íman a diferentes planos e a diferentes distâncias.

A StreetSiren foi testada quanto à sua capacidade de funcionar durante 30 minutos a uma potência de 95 dB. Também foi testada até 113 dB. Foi submetida a diferentes condições climatéricas — calor, frio e elevada humidade. Efetivamente, o dispositivo está em conformidade com a norma de proteção IP54, o que significa que pode funcionar no exterior.
Após quatro meses de testes, todos os cinco dispositivos Ajax receberam certificados EN 50131. A fiabilidade dos dispositivos Hub, MotionProtect, GlassProtect, DoorProtect e StreetSiren foi considerada como Grau 2.

Passaram a certificação para o Grau 2:

Hub

Painel de controlo de segurança inteligente
Saiba mais

DoorProtect

Detetor de abertura magnético sem fios
Saiba mais

DoorProtect Plus

Detetor de abertura magnético sem fios com sensor de impacto e inclinação
Saiba mais

CombiProtect

Detetor de movimentos e quebra de vidros sem fios com imunidade a animais de estimação
Saiba mais

GlassProtect

Detetor de quebra de vidros sem fios
Saiba mais

HomeSiren

Sirene interior sem fios
Saiba mais

KeyPad

Teclado sem fios de duas vias
Saiba mais

MotionProtect Plus

Detetor de movimentos imune a animais de estimação sem fios com sensor de micro-ondas
Saiba mais

SpaceControl

Comando sem fios de duas vias com botão de pânico
Saiba mais

StreetSiren

Sirene exterior sem fios
Saiba mais

MotionProtect

Detetor de movimentos imune a animais de estimação sem fios
Saiba mais

Hub Plus

Painel de controlo de segurança inteligente com capacidades de comunicação avançadas
Saiba mais

Hub 2

Painel de controlo de segurança inteligente compatível com detetores com verificação visual de alarmes
Saiba mais

Hub 2 Plus

Painel de controlo avançado compatível com verificação fotográfica de alarmes
Saiba mais

ReX

Repetidor de sinal rádio inteligente
Saiba mais

Button

Botão de pânico/controlo remoto sem fios para cenários
Saiba mais

MotionCam

Detetor de movimentos sem fios com verificação visual de alarmes e imunidade a animais de estimação
Produto Contra Intrusos do Ano 2020
Saiba mais

StreetSiren

Sirene exterior sem fios
Saiba mais

MotionProtect Outdoor

Detetor de movimentos exterior sem fios com anti-mascaramento e imunidade a animais de estimação
Saiba mais

MotionProtect Curtain

Detetor de movimentos de cortina interior sem fios
Saiba mais

Transmitter

Módulo para integração de detetor de terceiros
Saiba mais

MultiTransmitter

Módulo para integrar dispositivos de terceiros com fios no Ajax
Saiba mais

StreetSiren DoubleDeck

Sirene exterior sem fios com um fecho de clipe para uma tampa personalizável com a marca
Saiba mais

Porque é que um sistema de segurança precisa de ser classificado?

Artboard 5
Um fabricante precisa de certificação para os seus dispositivos. É a única forma de um sistema de segurança poder concorrer em pé de igualdade no mercado de massas e tentar angariar utilizadores. Todas as soluções de segurança profissionais precisam de obter essa classificação. As seguradoras de propriedades e centrais recetoras de alarme exigem a obtenção do grau.

A certificação constitui um desafio para o fabricante. A norma EN 50131 enumera os requisitos relativamente a todos os aspetos de um dispositivo de segurança. Ao cumprir estes requisitos, os fabricantes não perdem de vista a comunicação nos dois sentidos entre dispositivos do sistema, encriptação de dados ou resistência física à natureza, ao vandalismo e à adulteração. Os fabricantes sentem-se forçados a procurar e encontrar soluções pois esta classificação incentiva à criação de um produto verdadeiramente fiável. Embora as tecnologias não certificadas não tenham de seguir estas regras, o reverso da medalha é que podem falhar a qualquer momento.

E poderá ser um cliché, mas não deixa de ser verdade: até que ponto se pode fixar um preço quando se trata de segurança e proteção?

Como é que a Ajax mantém a extraordinária qualidade dos seus produtos?

Ajax Hub

Em junho de 2018, passámos pela certificação de Grau 2, ao abrigo do Regime 5. Portanto, onde quer que adquira dispositivos Ajax, estes estarão sempre em conformidade com padrões de elevada qualidade. Além disso, a empresa que efetuou a certificação foi a TrezorTest, uma empresa checa acreditada que tem uma excelente reputação na Europa.

Fases de certificação de Grau 2:

  • Regime 1: O fabricante envia o dispositivo para testagem a fim de afirmar a sua conformidade com normas europeias.
  • Regime 3: Os testes são efetuados em vários dispositivos provenientes da fábrica do fabricante. Além disso, o processo de produção em lote dos dispositivos também é avaliado durante a certificação.
  • Regime 5: Inclui todos os testes do Regime 1 e Regime 3. Também são verificados os dispositivos adquiridos junto de qualquer representante do fabricante.

Para confirmar a certificação, todos os anos enviamos dispositivos para a TrezorTest com o objetivo de repetir os testes e submetemo-nos a uma auditoria de conformidade do processo de produção. A empresa de testagem também pode adquirir e testar dispositivos Ajax a partir de qualquer um dos nossos representantes em qualquer país. Se as amostras não passarem nos testes, o fabricante perde a sua certificação. É por isso que cumprimos normas de qualidade rigorosas, para que os dispositivos Ajax desempenhem as suas funções de segurança com fiabilidade.

Caso veja algum erro, selecione o texto e prima Ctrl + Enter

Relatório de erro ortográfico

O texto seguinte será enviado aos nossos editores: