Como a Ajax protege a Estação de Pesquisa Vernadsky na Antártida dos incêndios

Fotografia gentilmente cedida por Yurіі Shepeta

Na primavera de 2021, a Estação de Pesquisa Vernadsky, uma estação ucraniana na Antártida, foi equipada com um sistema de segurança Ajax com detetores de incêndio FireProtect e FireProtect Plus. O equipamento Ajax foi entregue a uma distância de 16 mil quilómetros e protege agora a estação científica na Antártida. Ao ler este artigo, o leitor aprenderá como instalar um sistema de alarme de incêndio numa instalação, se essa instalação for uma estação polar.

Existem de 10 a 14 membros da expedição ucraniana a viver na Estação de Pesquisa Vernadsky. São cientistas e os responsáveis pela estação. Todos os anos, uma equipa de exploradores polares vai substituir a outra.

Estes especialistas investigam e estudam o Oceano Antártico, o campo magnético da Terra e o clima, flora e fauna da Antártida. Por exemplo, registam as “linguagens” e os “dialetos” das baleias, monitorizam a evolução do buraco na camada de ozono e fazem medições meteorológicas diárias para prever o tempo a nível mundial, bem como as alterações climáticas globais.

Não havia já um alarme de incêndio na Estação de Pesquisa Vernadsky?

Houve, mas ninguém o atualizou durante 36 anos (desde 1985). Durante os primeiros 10 anos, a estação foi utilizada por exploradores polares britânicos. Nessa altura, a estação chamava-se “Faraday” e pertencia ao Reino Unido. Desde então mudou de nome, de bandeira e país, mas não o seu equipamento de deteção de incêndios.

O antigo sistema funcionava mal e causava falsos alarmes. Alguns detetores encontravam-se inoperacionais. Encontrar peças sobressalentes para esses sistemas (e levá-las para a Antártida) estava a tornar-se cada vez mais difícil.

ajax protects antarctica

O aspeto de uma estação na Antártida. Fotografia gentilmente cedida por Yevhen Prokopchuk

O que acontece se houver um incêndio na Antártida?

A região da Antártida é o lugar mais ventoso do mundo, onde a maior parte do tempo sopram ventos com a força de furações. Até mesmo uma pequena chama pode rapidamente transformar-se num grande fogo.

A maioria dos edifícios nas estações da Antártida foram construídos há décadas. São frequentemente pequenas casas de madeira com painéis metálicos isolados com espuma. Quando esta espuma entra em combustão, liberta fosgénio, um gás altamente mortífero.

Em 2020, houve um curto-circuito na estação russa “Mirny”. O incêndio destruiu laboratórios, a sala de rádio e outros edifícios.

Uma estação polar é uma instalação invulgar. O que se deve então ter em conta ao escolher um sistema de alarme?

Fiabilidade de comunicação. A estação é um complexo de edifícios, pelo que é importante cobri-los com um sistema. Para tal, é necessária uma comunicação via rádio de longo alcance que seja o mais fiável possível.

Manutenção. Não é preciso enviar um instalador profissional para uma estação na Antártida. São os próprios engenheiros da estação que fazem a manutenção do sistema. Não deve requerer muita atenção. Os dispositivos devem funcionar com as pilhas durante muitos anos e alertarem imediatamente se alguma coisa correr mal. Por exemplo, se um detetor perder a ligação ou se as pilhas precisarem de ser substituídas dentro de alguns meses.

Alerta de incêndio. Existe uma pessoa na estação que controla o sistema. É necessário um sistema com uma prática app de monitorização de alarmes para PCs, bem como sirenes sonoras que alertem as pessoas para o perigo.

Impacto no clima. Durante a estação fria, a temperatura exterior desce até aos -27°C. Em instalações residenciais, mantém-se a temperatura a +16-18°C e em instalações não residenciais é mantida com um ligeiro acréscimo. As especificações dos detetores devem corresponder a estas condições.

ajax protects antarctica

Ilha Galindez, onde está situada a estação. Fotografia gentilmente cedida por Yurіі Shepeta

Por que razão a Ajax foi escolhida para a Antártida?

A política do Centro da Antártida é a de comprar o que é ucraniano. E apenas comprar o melhor – não se pode economizar na Antártida. O preço do fracasso é elevado e o transporte custa muito dinheiro. Foi estabelecida uma meta: é necessário um sistema de segurança? Então tem de ser Ajax. E não nos enganámos com a escolha.Viacheslav Marchenko, Diretor Adjunto do Centro Científico Nacional da Antártida (NASC)

Para além do hub (o painel de controlo do sistema de segurança) e duas sirenes, foram enviados dez detetores de incêndio Ajax para a Ilha Galindez na Antártida Ocidental. Protegem contra incêndios, detetam fumo, oscilações rápidas de temperatura e previnem o envenenamento por monóxido de carbono.

FireProtect Plus

Detetor de fumos, calor e monóxido de carbono sem fios com sirene
Saiba mais

FireProtect

Detetor de fumos e calor sem fios com sirene
Saiba mais

Hub

Painel de controlo de segurança inteligente
Saiba mais

HomeSiren

Sirene interior sem fios
Saiba mais

StreetSiren

Sirene exterior sem fios
Saiba mais

Quando ligados ao sistema de segurança Ajax através do protocolo de rádio Jeweller seguro, os detetores podem funcionar até 1300 metros de distância do hub.

Os detetores de incêndio Ajax continuarão a funcionar mesmo que a estação perca o acesso à Internet ou que não haja ninguém para monitorizar os alarmes. Os dispositivos conseguem funcionar de forma independente do painel de controlo do sistema. Mesmo que não haja ligação com o hub, os detetores reconhecerão a ameaça e as sirenes incorporadas alertarão para o perigo. O volume da sirene é de 85 dB para acordar até mesmo aqueles que dormem profundamente.

O sistema Ajax também consegue lidar com a situação quando a temperatura nas instalações da estação desce dos +11-12°C (acontece quando há ventos fortes). A temperatura de funcionamento do detetor varia de 0°C até +65°C.

E por fim, não precisa de se preocupar com a frequência com que tem de enviar novas pilhas para a estação. Os detetores têm até 4 anos de autonomia de funcionamento.

👉 Qual é a autonomia das pilhas dos dispositivos Ajax e o que pode afetar tal autonomia?

Como levar o equipamento para os confins do mundo?

Todos os dispositivos Ajax foram comprados na Ucrânia. Foram necessários três trajetos de avião, uma viagem de navio e sete dias para levar o equipamento para a Antártida. Cinco desses dias foram passados a viajar de navio, que atravessou o lugar mais tempestuoso do planeta — a Passagem de Drake.

Cada explorador polar leva três sacos: dois com as suas próprias coisas e um partilhado. O equipamento Ajax foi enviado num saco desse tipo.

Instalação e configuração. Como correu tudo?

Os dispositivos Ajax estão prontos mal são removidos da caixa, a pilha já está pré-instalada e os detetores não precisam de ser desmontados. Ligam-se a um hub com um simples toque na app e montam-se em poucos minutos num SmartBracket. Quaisquer questões podem sempre ser resolvidas entrando em contacto com a equipa de assistência Ajax, que está disponível 24 horas por dia, 7 dias por semana e ajuda utilizadores de todo o mundo em seis línguas.

O sistema foi instalado pelo principal especialista, o mecânico do sistema da Estação de Pesquisa Vernadsky. Para participar na expedição, o comité de concurso do Centro Científico Nacional da Antártida seleciona o melhor candidato entre os candidatos de toda a Ucrânia. O mecânico do sistema supervisiona a qualidade da instalação e assegura o funcionamento fiável do equipamento.

👉 Porque é que o sistema de segurança deve ser instalado por um profissional?

Como funciona a monitorização de alarmes nas estações?

A estação utiliza o computador com a app PRO Desktop instalada. É colocado no átrio do edifício principal um ecrã com todos os indicadores. Um outro computador no escritório do responsável de serviço é utilizado como estação de monitorização de alarmes.

👉 PRO Desktop 3.0: manutenção e monitorização dos sistemas Ajax numa só app

Para gerir o sistema quando estão em deslocação, os engenheiros da estação têm apps Ajax nos seus smartphones. A estação tem Internet, mas só se tornou ilimitada nesta primavera após a instalação de uma antena de satélite.

Durante os dois meses de funcionamento, houve dois alarmes na estação: na cozinha, quando os exploradores polares estavam a grelhar bifes, e na carpintaria, onde decorriam os trabalhos de soldadura. Em ambos os casos, o equipamento reagiu ao fumo.

O que vem a seguir?

O plano é instalar mais 20 detetores de incêndio na estação, bem como complementar o sistema Ajax com o repetidor do sinal de rádio ReX. A estação polar é composta por 12 edifícios (incluindo alojamentos, uma oficina de carpintaria e um estaleiro para embarcações), localizados a uma certa distância uns dos outros. Os edifícios estão cobertos com ferro perfilado, que pode interferir com o sinal de rádio. O repetidor aumentará o raio de alcance dos dispositivos e tornar-se-á uma ligação fiável entre os detetores e o hub.

ajax protects antarctica

Caso veja algum erro, selecione o texto e prima Ctrl + Enter

Relatório de erro ortográfico

O texto seguinte será enviado aos nossos editores: